quinta-feira, 7 de abril de 2011

Proclamo aqui o meu silêncio. Um vácuo de palavras é instalado em mim a partir de agora. Sem ironia nem sarcasmo. Vazio. Se penso, logo existo, posso viver sem falar. Se basta pensar para viver, é necessário se calar para conviver. Decifra-me se puder.